Blog do Prof Nescau

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Matéria Jogo Aberto PR 21.09.2010 - Davi Romeo

video

Matéria do Programa Jogo Aberto PR durante o Campeonato Paranaense de Pista 2010 realizado no velódromo do Jd Botânico em Curitiba-PR, o Atleta Davi Romeo entrevistado por Márcia Magalhães onde falou sobre sua vida no ciclismo e seus objetivos futuros no esporte.

domingo, 19 de setembro de 2010

Campeonato Paranaense de Ciclismo de Pista 2010


Aconteceu neste final de semana em Curitiba-PR, o Campeonato Paranaense de Ciclismo de Pista 2010 no Velódromo do Jardim Botânico. A prova contou com as principais equipes de pista do ranking nacional que disputaram preciosos pontos para a classificação geral do Ranking Nacional e a Equipe Curitibana GF CICLISMO/MERCOBIKE.COM/UNILANCE atual Líder, teve um desempenho muito bom conquistando 20 medalhas no total e ampliou a vantagem que tinha para o Equipe Lidra/Americana(SP) 2ª colocada no ranking na categoria Elite Masculina.
Novamente o destaque da Equipe foi o atleta DAVI ROMEO integrante da seleção Brasileira de Pista com 5 medalhas de Ouro nas Provas KM, Keirin, Velocidade 200m, Velocidade por Equipes, Perseguição por Equipes.
Davi Romeo a partir de agora focará seu treinamento e preparação visando a disputa de 3 etapas da Copa do Mundo de Ciclismo(Austrália/Londres/Colômbia) a partir de Novembro onde correrá com os melhores atletas do mundo. Segundo Adir Romeo seu técnico, "o objetivo é conquistar para o Brasil uma vaga no Ciclismo de Pista nas Olimpíadas de Londres 2012".

A Equipe GF CICLISMO/MERCOBIKE.COM/UNILANCE tem o apoio das empresas Madeira Madeira Pisos e Revestimentos, Sigma Sound Car e Acessórios, Academia R2, Jamur Bikes, Multi Case Embalagens, Qualitech, Transportadora Estrela do Oriente, RHB Import , Divina Sul Embalagens de Madeira, Nutriall Produtos Naturais e Suplementos, Loureiro Incorporações, Adriane Werner Comunicação, Armazém da Informática, Mercobike.com – Classificados de bicicletas e Consórcio Unilance.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Davi Romeo é destaque do Campeonato Paranaense de Pista


16/09/2010 | 12:02 | Angelo Binder - Gazeta do Povo

Quarto colocado no ranking brasileiro, o paranaense Davi Romeo, 23 anos, é um dos destaques do Campeonato Paranaense de Ciclismo de Pista, neste final de semana, no velódromo do Jardim Botânico, em Curitiba.

Detentor do recorde brasileiro do quilômetro contra o relógio (1min4s754), alcançado em 2009, na Cidade do México, o ciclista espera se destacar na capital paranaense e somar pontos no ranking nacional. “Fiquei fora da etapa do brasileiro realizado no Rio de Janeiro, em março, por questões burocráticas. Agora preciso somar pontos para ficar perto de uma vaga na Copa do Mundo, que dá acesso ao Mundial de Ciclismo”, explica o atleta da equipe GF Ciclismo/Mercobike.com/Unilance.

Além da prova do quilômetro, Rome está inscrito nos 200 metros, kerin (prova em que ciclista persegue uma moto) e velocidade por equipe. “Espero fazer bons tempos e até, quem sabe bater recordes . Mas a pista de Curitiba está um pouco judiada, vamos ver o que dá pra fazer. Segundo a organizadora da prova, a pista do velódromo do Jardim Botânico é uma das mais utilizadas do Brasil, mas está entre as piores conservação. “É um contra-senso, mas é o que acontece. Isso acontece pelo excesso de uso da pista”, lembra.

Apesar da condição comprometida do piso, Mônica lembra que a Secretaria do Esporte e Lazer (Smel) da Prefeitura de Curitiba tem colaborado para a realização do evento. “A Smel banca a arbitragem, disponibiliza os banheiros químicos e nos auxilia na organização”, garante a organizadora.

As provas começam na sexta-feira (17) e terminam na manhã de domingo (19). Disputam o Paranaense de Ciclismo atletas federados de todo o Brasil. A competição vale pontos para o Ranking Brasileiro de Pista. No ciclismo de pista, as bicicletas não tem freio e câmbio.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Alexandre Manarelli vence segunda etapa do Giro del Friuli


Giro del Friuli: "Tappa e primato per carioca Manarelli"

"Tappa e primato per carioca Manarelli" assim todos os noticiários italianos divulgavam a notícia em destaque do brasileiro Alexandre Manarelli nesta quinta feira (9-setembro), Manarelli fez uma excelente apresentação digna de muitos elogios na segunda etapa do Giro del Friuli.
Alexandre Manarelli defende hoje a equipe Marchiol, uma equipe de base da grandiosa Liquigás que pertence ao Pro-Tour categoria máxima do ciclismo mundial.
Manarelli e seus companheiros de equipe estão disputando uma das provas mais consideráveis do calendário diletanti o Giro del Friuli 2010.
A competição esta reunindo as principais equipes diletanti da Itália como também várias equipes estrangeiras, entre os destaques estão equipes da França, Russia, Croacia entre outras.
Hoje aconteceu a segunda etapa do Giro realizada entre Codroipo e Pordenone com 157 quilômetros no total. O percurso era bastante seletivo, exigia bastante atenção e técnica dos ciclistas, uma subida de aproximadamente 12 quilômetros após 90 quilômetros percorridos foi o ponto chave da etapa, esta subida selecionou o pelotão e apenas um pequeno grupo com cerca de 20 ciclistas seguiram no grupo dianteiro.
Manarelli sempre se manteve bem posicionado atento a todas as fugas e com a preocupação de trabalhar para seu companheiro de equipe Matteo Trentin que liderava a competição após ter vencido a primeira etapa.
Logo depois de efretarem a subida do quilômetro 90 a equipe Marchiol estava com três ciclistas no grupo dianteiro, juntos os atletas resolveram não esperar o sprint final, então Manarelli e Leonardi Gianluca seu outro companheiro de equipe começaram a atacar, Gianluca deu o primeiro ataque mas não conseguiu sucesso, logo na seqüência faltando cerca de 6 quilômetros para a chegada, outro atleta estrangeiro da equipe AG2R atacou e Manarelli respondeu e contra-atacou forte, o brasileiro foi aos poucos abrindo vantagem e ficando mais perto da vitória na etapa.
Manarelli cruzou a linha de chegada isolado com uma vantagem de 43 segundos para o segundo Enrico Battaglin (Zalf) e Matteo Trentin (Marchiol) terceiro.

Com este resultado o brasileiro assumiu a liderança geral do Giro com a vantagem de 43 segundos para o segundo colocado que é seu companheiro de equipe Matteo Trentin. A vitória na etapa também colocou Manarelli na liderança geral de metas e na liderança geral de melhor jovem no Giro.
Um resultado fantástico para Manarelli e para o Brasil que vem demonstrando toda sua força através do projeto Revelando Talentos.

"Estou muito feliz, foi uma etapa bastante difícil, o grupo estava selecionado apenas com os melhores, eu estava preocupado em defender a liderança que pertencia ao meu companheiro de equipe Matteo, mas graças a minha dedicação consegui esta vitória e a liderança geral da competição, estou muito feliz. Gostaria de agradecer ao Luciano Pagliarini mais uma vez pela oportunidade, a Confederação Brasileira de Ciclismo pelo apoio e pelos companheiros que estão aqui comigo Rafael Andriato e Gideoni Monteiro, aqui somos uma família. Agora vou me concentrar e tentar vencer a classificação geral desta competição internacional que é uma das mais importantes da Itália na categoria diletanti." comentou Manarelli.

Amanhã os atletas vão enfrentar a terceira etapa do Giro del Friuli entre Maniago e Forni di Sopra com 174 quilômetros, durante o percurso os ciclistas terão que enfrentar três prêmios de montanha, o que vai deixar a etapa ainda mais agitada e disputada.


É importante lembrar sempre que Rafael Andriato , Carlos Alexandre Manarelli e Gideone Monteiro são resultado de um trabalho fantástico que vem sendo realizado por Luciano Pagliarini, o projeto "Revelando Talentos" que é a iniciativa encontrada por Pagliarini para dar seqüência ao trabalho começado em 1999 quando aos 21 anos de idade integrou sua primeira equipe européia, abrindo portas para o ciclismo nacional.

Utilizando a experiência como ciclista profissional e o conhecimento adquirido ao longo de quase uma década competindo no exterior, o brasileiro acredita na possibilidade de inserir e revelar novos nomes do ciclismo nacional direcionando-os para o ambiente das equipes internacionais de todas as categorias.

O projeto tem total apoio da Confederação Brasileira de Ciclismo e participarão dele atletas brasileiros pertencentes às categorias Junior e Under 23 com destaque nacional e possíveis projeções internacionais.

Classificação geral da segunda etapa:

1. Manarelli Carlos Alexandre (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo)
2. Battaglin Enrico (Zalf Desirèe Fior) a 43"
3. Trentin Matteo (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo)
4. Busato Matteo (Zalf Desirèe Fior)
5. Teychenne Coutet (Chambery Cyclisme Formation)
6. Anzalone Maurizio (Team Palazzago)
7. Agostini Stefano (Zalf Desirèe Fior)
8. Leonardi Gianluca (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo)
9. Kirchmair Stefan (Tyrol)
10. Martinello Nicolò (Fausto Coppi Gazzera)


Classifica geral após duas etapas:

1. Manarelli Carlos Alexandre (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo)
2. Trentin Matteo (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo) a 43"
3. Busato Matteo (Zalf Desirèe Fior)
4. Kirchmair Stefan (Tyrol)
5. Leonardi Gianluca (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo)
6. Durasek Kristian (Bk Loborika)
7. Stake Laengen Vegard (Norvegia)
8. Girard Thomas (Chambery Cyclisme Formation) a 2'32"
9. Papok Shiarhei (Gs Caneva) a 2'37"
10. Zanotti Claudio (Delio Gallina)

Classificação geral de Metas Volantes:

1. Manarelli Carlos Alexandre (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo) 9 pt
2. Kirchmair Stefan (Tyrol) 8 pt
3. Leonardi Gianluca (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo) 5 pt
4. Zanotti Claudio (Delio Gallina) 5 pt
5. Sheshemoin Alexander (Kazakhstan) 3 pt


Classificação Gpm:

1. Petitto Alberto (Zalf Desirèe Fior) 8 pt
2. Moresco Mattia (Fausto Coppi Gazzera) 4 pt
3. Agostini Stefano (Zalf Deisrèe Fior) 3 pt
4. Schelling Sven (Vc Mendrisio) 2 pt
5. Sladok Yevgehiy (Kazkhstan) 1 pt


Classificação geral por pontos:

1. Matteo Trentin (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo) 41 pt
2. Busato Matteo (Zalf Desirèe Fior) 34 pt
3. Manarelli Carlos Alexandre (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo) 36 pt
4. Battaglin Enrico (Zalf Desirèe Fior) 20 pt
5. Zanotti Claudio (Delio Gallina) 16 pt



Classificação geral de melhor jovem:

1. Manarelli Carlos Alexandre (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo)
2. Trentin Matteo (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo) a 43"
3. Kirchmair Stefan (Tyrol)
4. Leonardi Gianluca (Marchiol Pasta Montegrappa Orogildo)
5. Stake Laengen Vegard (Norvegia)




ASSESSORIA DE IMPRENSA
CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CICLISMO
Publicada: 09/09/2010às 20:47:11

Transporte de bicicletas - Finalmente, Contran define normas

Transporte de bicicletas - Finalmente, Contran define normas

Paula Carolina - Estado de Minas

Lei que regulamentava o assunto era de 1979 e gerava dúvidas, principalmente quanto à fiscalização. Nova resolução traz poucas alterações, mas esclarece pontos obscuros

Desde a entrada em vigor do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que um ato aparentemente simples — o transporte de bicicleta em automóvel ou picape — causava transtornos a ciclistas e usuários de fim de semana. O novo código não aprofundou no assunto, deixando lacunas, e nem os agentes de fiscalização se entendiam. O maior prejudicado era o motorista, que tentava cumprir a lei mas acabava multado, penalizado pela falta de legislação específica. Com a publicação da Resolução 349, semana passada, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) regulamenta o assunto, estabelecendo regras claras para o transporte. A nova lei passa a valer 90 dias depois de sua publicação, ou seja, em 18 de agosto.

"Há pouco tempo, fui multado, dentro de Belo Horizonte, transportando a bicicleta em um suporte fixado na traseira do veículo. De fato, a visibilidade da placa traseira estava prejudicada, mas exatamente por isso eu havia pendurado uma segunda placa e o agente viu que a placa era idêntica à do carro", diz, indignado, o treinador de ciclismo Julio Cezar Queiroz Machado, que há três anos, sem sucesso, vem tentando esclarecer junto a diversas autoridades de trânsito qual seria a maneira adequada para transportar a bicicleta.

NA TRASEIRA OU NO TETO
Em casos como o de Julio Cezar, em que a bicicleta for transportada na parte traseira do carro, encobrindo a placa, a adoção da segunda placa de identificação, no lado direito da traseira do veículo e instalada no para-choque ou na carroceria, é um dos pontos definidos pela nova resolução. Esta placa, no entanto, terá que ser lacrada e fixada pelo órgão de trânsito do estado ou município (Detrans ou delegacias de Trânsito). E continuam valendo exigências importantes: a largura da bicicleta não pode ultrapassar a do veículo e não podem ser encobertos indicadores de direção, luzes de freio e dispositivos refletores (veja quadro). Outra decisão fundamental: fica claro que a bicicleta poderá ser transportada em suportes de fixação no teto do automóvel, em pé ou deitada, ponto que também gerava controvérsias.

"Algumas autoridades entendiam que, no teto, as bicicletas só poderiam ser transportadas deitadas, para não ultrapassar 50cm de altura (limite determinado para cargas). Agora, o Contran definiu as bicicletas como objeto indivisível e uma exceção, podendo ser transportadas também em pé. Muito legal esse tratamento", pondera o organizador da Copa Internacional de Mountain Bike, Rogério Bernardes Ferreira. Ele completa que, embora as mudanças tenham sido pequenas, o mais importante foi a regulamentação: "É importante agora disseminar a informação. Esclarecer os usuários sobre a maneira melhor, e correta, de transportar a bicicleta. Vai ser bom para o ciclista e para a fiscalização, que também tinha dúvidas".

TIPOS
Com relação à largura da bicicleta, que normalmente ultrapassa a do carro, quando usados os suportes fixados na traseira, Rogério lembra que basta tirar a roda dianteira da bicicleta para resolver o problema: "A roda dianteira é fácil de tirar. E você pode colocá-la dentro do porta-malas ou pendurada no próprio quadro". No que diz respeito aos suportes existentes, ele afirma que há interessantes racks no mercado, leves e práticos, que são acoplados às bolotas dos engates. Os preços variam muito, mas é possível encontrar suportes a partir de R$ 100.

Com relação ao transporte no teto, quem explica é Guilherme Falci, da Giro Sport Center: "Quando não há barras é preciso adquiri-las e depois as calhas, que são colocadas no sentido transversa"”. Tanto as barras quanto as calhas são encontradas por diversos preços e de diferentes marcas. Mas, com menos de R$ 400 é possível comprar tudo.

NA CAÇAMBA
As bicicletas também poderão ser transportadas em picapes, mesmo que haja necessidade de abertura do compartimento de carga (desde que somente durante o transporte).

POR DENTRO DA LEI
O transporte de bicicletas era regulamentado pela Resolução 549, de 1979, ainda sob a vigência do antigo Código Nacional de Trânsito. E o de cargas, pela Resolução 577, de 1981 (cerne da dúvida sobre o transporte no teto, devido à exigência de altura máxima de 50cm). Ambos foram revogadas pela nova Resolução 349 (que também regulamenta o transporte de cargas), publicada no dia 20, mas com previsão de entrar em vigor a partir de 18 de agosto.

Entre as exigências: a bicicleta não poderá atrapalhar a visibilidade nem comprometer a estabilidade do veículo; não poderá provocar ruído nem poeira; não poderá ocultar as luzes de freio, indicadores de direção e dispositivos refletores (ressalvada ocultação da lanterna de freio elevada); não poderá exceder a largura máxima do veículo nem ultrapassar as dimensões autorizadas para veículos (Resolução 210/2006); todos os acessórios como cabos, correntes, lonas, grades ou redes, que sirvam para acondicionar, proteger e fixar a carga, deverão estar devidamente ancorados.

Segunda placa traseira de identificação: será obrigatória na hipótese do encobrimento da placa traseira; terá que ser colocada em local visível, ao lado direito da traseira do veículo, podendo ser instalada no para-choque ou na carroceria, admitido o uso de suportes adaptadores; deverá ser lacrada na parte estrututal em que estiver instalada.

É considerada carga indivisível e, portanto, poderá ser transportada em caçamba, mesmo que com o compartimento de carga aberto, mas deve respeitar o peso máximo estabelecido para o veículo.

Multa: conforme a falha cometida, o motorista está sujeito a infrações distintas – conduzir o veículo sem uma das placas de identificação (artigo 230/multa de R$ 191,54, perda de sete pontos, possibilidade de apreensão e remoção do veículo); transitar com o veículo derramando, lançando ou arrastando sobre a via carga que esteja transportando (artigo 231, inciso II/mesma multa e pontuação, retenção do veículo para regularização); transitar com dimensões da carga superiores aos limites estabelecidos (artigo 231, inciso IV/multa de R$ 127,69, perda de cinco pontos, retenção do veículo); transitar com excesso de peso (artigo 231, inciso V/multa de R$ 85,13, quatro pontos, remoção do veículo); transportar, em veículo destinado a passageiros, carga excedente (artigo 248/multa de R$ 127,69, cinco pontos, retenção para o transbordo).